Cancun – México

O mar turquesa de Cancun

O mar turquesa de Cancún

A primeira vista pode parecer que Cancún resume-se às lindas praias de areias brancas e mar turquesa, onde o programa é aproveitar o “all incluse” que as grandes redes hoteleiras oferecem para desfrutar do dia na praia, e à noite nas baladas noturnas. Com esta ideia, acreditamos serem 6 noites suficientes para explorar Cancún. Engano nosso!

Mesmo com o intenso movimento turístico, Cancún tem conseguido preservar seu patrimônio natural e a sua cultura ancestral, representada nas ruínas das cidades Maias fundadas no período pré-colombiano, e que resistiram à invasão espanhola. O estilo americano de entretenimento chegou por aqui e as empresas aproveitaram a oportunidade de unir atributos fundamentais para o sucesso destes empreendimentos: envolver o turista com a natureza e a cultura, oferecendo uma legítima experiência. A maior parte destas experiências está ligada à cultura Maia. A rica história desta civilização e o misticismo permeado por rituais e sacrifícios é bem explorado pelo turismo em parques temáticos, ou em passeios oferecidos por agências que combinam atividades na natureza à visita a uma das ruínas.

Estudando os passeios, as experiências das quais gostaríamos de desfrutar, as praias que visitaríamos, os mergulhos, as ruínas, etc, etc, etc, logo percebemos que as 6 noites e 7 dias que ficaríamos em Cancún, seria pouco, e que teríamos que escolher entre as opções de passeios; o problema era que todas eram tentadoras! Começamos pelo principal motivo que nos levou à Cancun nesta época do ano (viajamos em final de agosto): o mergulho com o Tubarão Baleia.

 

Tubarão Baleia

Tubarão Baleia

De março a setembro, estes gigantes chegam ao mar de Cancún para alimentar-se da grande quantidade de plâncton. O passeio começa na sede da agência Solo Buceo – Only Diving, que acumula anos de experiência neste, e em outros tipos de mergulho que oferece aos turistas. O barco sai do píer que fica de frente para a agência, e acompanhados por um guia, o capitão, uma fotógrafa, e dois turistas, partimos para a Expedição Tubarão Baleia. Logo no início você é informado da possibilidade de não encontrar o animal : “La naturaleza es impredecible ….” (a natureza é imprevisível…).  O tempo foi passando e a navegação já durava quase 2 horas, começamos a perder a esperança de ver o tubarão. Segundo o guia, a possibilidade de encontrar o tubarão naquele momento seria de 4 em 10 por conta do mar agitado. Frustradas as expectativas, começamos a navegação de volta ao píer. No caminho, o capitão avistou um cardume de arraias manta, aquelas enormes, mas que não têm o ferrão. Nadar com estes animais já era o máximo! Valeu o passeio e as horas de navegação. As arraias são realmente grandes. Parecem bater asas no mar. Elas não se incomodam com nossa presença e nadam ao nosso redor, bem perto mesmo. Lindas!

Arraia Manta

Arraia Manta

Arraia Manta

Arraia Manta

 

Arraia Manta

Arraia Manta

Eis que quando estávamos nos preparando para voltar ao barco, ouvimos a fotógrafa gritar: “El tiburón, El tiburón, aqui…” em menos de um minuto ele passava por nós. Enorme. Se já achamos as arraias grandes, ficaram pequenas perto do tubarão. Apesar do tamanho, ele nada devagar, como se flutuasse pelo oceano, leve. Ainda assim, para nós, alcançá-lo torna-se uma tarefa difícil, mesmo com as nadadeiras. Devido à sua natureza dócil e pacífica, não há risco em nadar bem perto destes magníficos peixes. Eles ficam bem próximos à superfície, sendo necessárias apenas máscaras e snorkels para este mergulho. Enquanto tentava fotografar um tubarão de frente, quase fui atropelada por outro. A hora que me virei fiquei cara a cara com o outro tubarão. Um susto! Mas ele nem ligou para mim, desviou lentamente e logo foi abrindo um bocão para coletar o plâncton. Acabei ficando ao seu lado por alguns segundos, o que me rendeu algumas fotos. Os três tubarões e as arraias que avistamos, ficaram conosco durante pelo menos uma meia hora de mergulho, o que nos pareceu poucos minutos, a alegria foi tanta que nem sentimos o tempo passar.

Tubarão Baleia

Tubarão Baleia

 

Tubarão Baleia

Tubarão Baleia

A agência Solo Buceo – Only diving – oferece várias opções de mergulho aos turistas. Em algumas épocas do ano há mergulhos específicos como este com tubarão baleia. website:  www.solobuceo.com

Na volta o barco passa bem perto de Isla Mujeres, que fica por volta de 45 min de navegação de Cancún. Refúgio de piratas no passado, a pequena ilha de pescadores tornou-se um dos principais destinos de quem visita Cancún. Ficamos por ali. Despedimo-nos do grupo, descemos no mar e caminhamos pela água rasa até a praia. A praia é agitada com muitos restaurantes, você pode optar entre sentar-se às mesas dos mesmos, ou alugar uma espreguiçadeira a beira da água. O mar de um azul ainda mais turquesa, é cristalino e morno. Quem precisa de mais? O lado urbano da ilha é pequeno e charmoso. A maior parte dos turistas aluga um carro de golf para circular entre o centro e as praias, não só pela distância, mas pela curtição de dirigir um carrinho destes. A rua principal conta com restaurantes, cafés, sorveterias e muitas lojinhas. Os catamarãs tradicionais partem para Cancún de hora em hora, mas também há catamarãs das agências onde os passeios são comprados com hora certa de saída e retorno.

 

Isla Mujeres - praia

Isla Mujeres – praia

 

Isla Mujeres - vila

Isla Mujeres – vila

 

Praia de areias brancas o mar turquesa, margueritas e papo pro ar…

Praias não faltam em Cancún, as principais concentram-se na chamada “Zona Hoteleira”, uma ilha que abriga a maior parte da rede hotéis, separada do continente pela lagoa Nichupté e ligada a ele por duas pontes. As praias são públicas, mas a maior parte dos acessos é passando por dentro dos hotéis, uma tarefa um tanto difícil se você não estiver hospedado. Há algumas pequenas entradas por onde é possível acessar a praia, mas esteja preparado para levar seu lanche, sua bebida, seu guarda-sol e sua cadeira, pois a estrutura dos hotéis atende somente aos hóspedes. As praias são realmente belas! Areia branca, mar turquesa e transparente. Parecem cenários montados para encher os olhos, e a alma de quem está ali. Mesmo com o tempo apertado reservamos um período do dia para aproveitar a praia e o “all incluse”. Difícil é se manter fora da água. Com o sol quente e o dia abafado, o mar é mesmo a melhor opção. Da água, direto para as espreguiçadeiras que ficam debaixo de cabanas espalhadas pela areia. Logo chega o garçom com a bebida mais popular do México: Margueritas. Neste momento você tem a certeza de ter feito a escolha certa quando contratou o hotel.

 

Zona Hoteleira - Praia

Zona Hoteleira – Praia

Zona Hoteleira

Zona Hoteleira

Playa del Carmen também não pode faltar no roteiro. Este charmoso vilarejo rouba cada vez mais a cena turística da Riviera Maia. A praia é tão bonita quanto às de Cancun, com a vantagem do acesso: público! Há várias entradas para a praia, mas procure seguir em direção oposta à saída das embarcações, pois a qualidade da água é melhor.  Para chegar à Playa del Carmen, a partir de Cancún, leva por volta de uma hora e meia. Você pode alugar um carro e chegar mais rápido, indo e voltando a hora que quiser, ou pode pegar um dos ônibus normais da linha R1, e descer no centro, mais precisamente na ADO. Dalí saem os ônibus, bem confortáveis, de 15 em 15 min para Playa Del Carmen. O dia deve começar na praia. Almoce um bom pescado e depois das 4h o movimento começa no centro, agora o programa é caminhar ao longo da 5ª. Avenida, onde está tudo! Lojas, cafés, bares, restaurantes, etc.

 

Playa del Carmen

Playa del Carmen

Playa del Carmen - 5a. Avenida

Playa del Carmen – 5a. Avenida

De Playa Del Carmen também partem os catamarãs para Cozumel. Não ir para lá estava fora de cogitação, queríamos muito conhecer a ilha. Antes de partir para Cozumel assegure-se de ter dinheiro em espécie, a maior parte dos estabelecimentos e serviços não aceitam nenhum tipo de cartão devido à dificuldade de comunicação para as transações. O dia começa cedo. Os catamarãs partem a partir das 8h e o melhor é seguir logo no primeiro. Se não der, pelo menos no segundo. Esqueça tudo que lhe oferecem no barco e no porto, ao chegar caminhe pelas ruas transversais e paralelas à rua principal e procure por uma locadora de veículos que lhe agrade, há inúmeras opções com preços bem diferentes. Nós utilizamos a Shark Rider Scooter & Cars (5ª. Avenida entre Juarez Y 2 Norte Main Plaza), pagamos 35 dólares por um Atos da Hyundai completo, e em bom estado. Acabou sendo melhor escolha do que uma scooter ou um buggy, pois de repente o tempo fechou e caiu uma chuva forte, seguida por um céu azul e sol quente, que bom que tínhamos teto e ar condicionado!

Cozumel

Cozumel

Como o tempo fechou, pela manhã optamos por conhecer o sítio arqueológico de San Gervásio. Seria nossa primeira experiência Maia. Para chegar às ruínas paga-se duas taxas: uma para o município e outra para o governo federal. O sítio arqueológico é composto de palácios, casas, edifícios públicos e templos, Cozumel, na época Maia era um importante centro religioso e lar de Ixchel, deusa da fertilidade. Você deve contratar um guia para conhecer a história, a única maneira de entender o que significam as ruínas e o poder dos rituais e sacrifícios Maias.

 

Cozumel - Ruínas de San Gervásio

Cozumel – Ruínas de San Gervásio

Saindo das ruínas seguimos pela estrada com intenção de dar a volta na ilha e conhecer as praias. Depois de rodarmos pela estrada principal por praias desertas, encontramos a primeira praia mais agitada em Chen-rio. A maré baixa cria diversas piscinas naturais, neste dia, cheias de moradores e turistas. Nesta parada também há alguns restaurantes que oferecem frutos do mar em fartas porções. Cozumel é famosa pelo mergulho. No mar, aquela que é considerada uma das maiores barreiras de corais do mundo, com uma visibilidade invejável. Segundo as informações que recebemos na locadora, os melhores locais para o snorkelling seriam: Palancar, Playa Corona e Money-bar. Optamos por mergulhar em Money-bar, que diziam ser o melhor ponto para o mergulho livre. Não podíamos imaginar que os corais estavam tão perto da costa, mal colocamos a cabeça na água e cardumes de peixes coloridos já estavam à nossa volta. Já fizemos muitos mergulhos, mas difícil não dizer que este com certeza foi um dos melhores mergulhos em coral que já fizemos. Espécies que nunca vimos antes, corais imensos, coloridos, peixes de todas as formas e tamanhos, arraias rajadas e diferentes. A visibilidade chegava a uns 50 m. Um mundo marinho fascinante e, principalmente vivo! Desnecessário dizer que esquecemos da nossa vida dentro d’água. Quando nos demos conta, tínhamos passado mais de duas horas e meia mergulhando. Valeu cada segundo! Ficamos tão satisfeitos com o snorkelling que acabamos por concordar que talvez fosse dispensável contratar o mergulho com cilindro. Será?

 

Cozumel - Praia Chen-rio

Cozumel – Praia Chen-rio

 

Mergulho livre

Mergulho livre nos corais

Cozumel - Mergulho livre - Arraia

Cozumel – Mergulho livre – Arraia


Ts’onot , os cenotes Maias

 

Diz à lenda que os cenotes foram formados por que a mãe Terra pretendendo esconder sua bela filha Água de um amor proibido, abriu buracos no chão e escondeu sua filha dentro deles. Com toda sua beleza e força, Água esculpiu a terra, caminhando por vários locais em busca do seu amado, formando assim, os cenotes. Outros acreditam que os cenotes foram formados por meteoros que caíram na terra há milhares de anos, formando cavernas, grutas e cânions, por onde corre uma água pura e cristalina. Os Maias consideravam o “ts’onot” uma espécie de portal de comunicação com os Deuses do Inframundo, envolvendo os cenotes em rituais sagrados e sacrifícios.  Explorados pelo turismo são um dos grandes atrativos em toda a Península de Yucatán. Há muitos cenotes em Cancún, nós optamos por contratar a expedição aos Xenotes Oasis Maya, pois teríamos a oportunidade de conhecer quatro tipos de cenotes diferentes. O dia começa em K’áak ‘, um cenote aberto onde a água corre entre paredes verticais em meio a uma espécie de cânion. Antes de iniciar o passeio, participamos de uma espécie de ritual no idioma maia, pedindo a permissão de K’áak ‘, para que tudo corra bem durante a visita. Os rituais Maias são levados a sério, e todos repetimos as palavras de permissão com respeito. Este ritual se repetiu durante todas as visitas, cada vez que mudávamos de cenote. Para desfrutar das águas verdes e cristalinas de K’áak ‘, nos jogamos no ar por uma tirolesa que leva direto à água. Com coletes salva-vidas, ou boias, fomos levados a flutuar pela correnteza.

Xenote Oasis Maya -Tirolesa no cenote K'áak

Xenote Oasis Maya -Tirolesa no cenote K’áak

Xenote Oasis Maya -Flutuação no cenote K'áak

Xenote Oasis Maya -Flutuação no cenote K’áak

Xenote Oasis Maya -Flutuação no cenote K'áak

Xenote Oasis Maya -Flutuação no cenote K’áak

A segunda parte desta aventura é saltar de cima do cânion para a água. É um momento único, e não pretendemos dizer aqui como você vai se sentir ao chegar lá em cima e olhar para a água, melhor deixar que você viva a sua experiência! 

Xenote Oasis Maya -Mergulho no cenote K'áak

Xenote Oasis Maya -Mergulho no cenote K’áak

Ha ‘ é o cenote dedicado à água. Aqui usamos máscara e snorkel para observar a fauna e a flora submersa que formam cenários compostos de jardins subaquáticos, cercados por formações rochosas de uma caverna.  Saindo da caverna, a próxima exploração se dá a bordo de caiaques, numa remada pelo cânion até o final do cenote.

Xenote Oasis Maya -Snorkelling no cenote Ha'

Xenote Oasis Maya -Snorkelling no cenote Ha’

Xenote Oasis Maya -Snorkelling no cenote Ha '

Xenote Oasis Maya -Snorkelling no cenote Ha ‘

Xenote Oasis Maya - Caiaque no cenote Ha '

Xenote Oasis Maya – Caiaque no cenote Ha ‘

Xenote Oasis Maya - Caiaque no cenote Ha '

Xenote Oasis Maya – Caiaque no cenote Ha ‘

Nesta parada, antes de seguir para o terceiro cenote é servido um farto pique-nique em meio à floresta.  O cenote mais antigo, totalmente aberto, é o dedicado a Iik ‘, o vento. Em meio à selva está uma tirolesa que atravessa o cenote. Há duas opções para deslizar sobre o cabo: segurando pelas mãos, ou sentado numa espécie de faixa, ambas levam para dentro da água. Você decide por quanto tempo deseja sentir o vento no rosto até se soltar e se jogar na água do cenote.

Xenote Oasis Maya - tirolesa no cenote  Iik ‘,

Xenote Oasis Maya – tirolesa no cenote Iik ‘,

Considerado um cenote jovem, por ser semiaberto, Lu’um, é o cenote Terra. Para chegar às suas bem guardadas águas azuis turquesa, você desce por um rapel guiado. A água gelada faz com que por alguns segundos você esqueça a adrenalina do rapel. Depois, esquece a água fria para se deliciar com a beleza do cenote, emociona! Em seguida, você volta à realidade quando é convidado a pular de uns 8m de altura, de uma espécie de trampolim. Neste momento você imagina como seriam os rituais que aconteciam nos cenotes. Outra daquelas experiências que vamos deixar para que você avalie…

 

Xenote Oasis Maya - Rapel para o cenote

Xenote Oasis Maya – Rapel para o cenote

 

Xenote Oasis Maya  - A beleza do cenote Lu’um

Xenote Oasis Maya – A beleza do cenote Lu’um

A Xcaret Experiencias oferece além da aventura Xenotes Oasis Maya, expedições para os parques Xcaret, Xel-Há, Xplor eentre outros passeios. website:  http://en.xcaretexperiencias.com/

 

The Original Coba Maya Encounter

Em Cancún estão três sítios arqueológicos de grande valor histórico, o maior deles, Chichén Itza foi escolhido como uma das novas sete maravilhas do mundo. Estima-se que tenha sido fundada por volta dos anos 435 e 455 e funcionou como centro religioso, político e econômico. A pirâmide de Kukulkan foi o mais grandioso de todos os templos da civilização maia. Chichén Itza  é um dos pontos turísticos mais visitados do México. Tulum também é um recanto da cultura maia, com o diferencial de ser o único sítio arqueológico encontrado na costa. Acredita-se que além de ponto estratégico para vigiar o mar e prevenir ataques de inimigos, Tulum possa ter funcionado também como de ponto de pesca ou talvez como porto comercial. Cobá uma das maiores cidades Maias no México, guarda a maior pirâmide da península de Yucatan: Nohoch Mul. Não teríamos tempo para conhecer todas as ruínas, assim nossa opção foi por Cobá, pelo fato de que agregado à visita às ruínas, levados pela agência Alltournative, teríamos a possibilidade de incluir uma experiência de ecoturismo, cultura e aventura, numa comunidade legitimamente maia, na expedição denominada The Original Coba Maya Encounter. O tour começa pela visita à comunidade que vive isolada numa propriedade em plena floresta. Todos prezam pela preservação da natureza e da cultura maia, o que inclui manter os rituais e falar o idioma maia. Os habitantes da comunidade recebem o turista com muita alegria e hospitalidade; ficam felizes em compartilhar um pouco da sua cultura milenar conosco. Enquanto ouvimos as histórias sobre a civilização maia, caminhamos floresta adentro até um circuito de tirolesas que atravessam um lago.

Original Coba Maya Encounter - Circuito de Tirolesas

Original Coba Maya Encounter – Circuito de Tirolesas

Original Coba Maya Encounter - Circuito de Tirolesas

Original Coba Maya Encounter – Circuito de Tirolesas

Seguimos por mais uma caminhada que leva a um santuário onde somos convidados a participar de um ritual maia de purificação. Um xamã nos pede para fecharmos os olhos e enquanto vai dizendo frases no idioma maia, a guia vai traduzindo simultaneamente. As palavras são de boas vindas e invocam a nossa proteção. Contam um pouco também sobre a vida na floresta e pedem a licença para que, depois de purificados possamos entrar nas águas do cenote sagrado. O xamã envolve um a um numa fumaça cheirosa, que lembra o perfume de incensos e termina o ritual numa espécie de reza de agradecimento, de frente para um altar. Agora, todos têm a permissão para descer de rapel e alcançar as águas azuis e cristalinas do cenote.

Original Coba Maya Encounter - Ritual de purificação Maya

Original Coba Maya Encounter – Ritual de purificação Maya

Este cenote é diferente daquele que adentramos nos Xenotes Oasis Maya, ele é bem mais fechado em cima, e bem mais amplo em baixo, as águas cristalinas refletem um tom esverdeado, não azulado, e quem vê de cima, a certa hora do dia, enxerga na água o reflexo de dois pontos luminosos, os quais os maias acreditam serem os olhos do Jaguar Negro que guarda o cenote.

Original Coba Maya Encounter - Descendo de rapel para dentro do cenote sagrado

Original Coba Maya Encounter – Descendo de rapel para dentro do cenote sagrado

Mais uma curta caminhada pela floresta nos leva a uma canoa. A calmaria do lago, circundado pela floresta, as suaves remadas e o lento andar das canoas nos faz refletir sobre este legítimo Maia Encounter.

Original Coba Maya Encounter - remada pelo lago

Original Coba Maya Encounter – remada pelo lago

Depois do almoço é hora de visitar Cobá. Um frio percorre nossa espinha no momento que nos deparamos com a primeira ruína. Depois desta primeira experiência, você sente que de alguma forma consegue compartilhar um pouco desta civilização tão intrigante. A guia começa a falar sobre a vida em Cobá, dos costumes, dos rituais, conforme caminhamos pelas ruínas a imaginação viaja. Há momentos em que ela nos questiona sobre uma ou outra hipótese ainda inexplicada, ouvindo as colocações dos outros turistas notamos o quanto somos realmente envolvidos nesta experiência. Deixados pela guia, agora é opção nossa caminhar, alugar uma bike, ou contratar os serviços de um “biketaxi”, onde um motorista pedala, levando até duas pessoas numa espécie de bicicleta. Nossa opção foi pedalar até Nohoch Muul, a pirâmide mais alta na parte norte do Península de Yucatan. É permitido subir até o cume desta pirâmide de onde se avista boa parte do sítio arqueológico, o lugar perfeito para terminar o passeio.
A Alltournative oferece esta entre outras experiências turísticas como: O Maya Selva, Ek Balam + Cenote Maya e Tulum + The Maya Selva – web site: alltournative.com

 

Original Coba Maya Encounter - Ruínas de Cobá -  Pirâmide Nohoch Muul

Original Coba Maya Encounter – Ruínas de Cobá – Pirâmide Nohoch Muul

 

Original Coba Maya Encounter - Ruínas em Cobá

Original Coba Maya Encounter – Ruínas em Cobá

A alta temporada em Cancún vigora entre dezembro e meados de abril. O restante do ano é considerado baixa temporada e os preços dos hotéis no balneário diminuem um pouco, claro que se puder programar sua visita fora da alta temporada, melhor. Lembrando que a temporada de furacões em Cancún vigora mais entre setembro e outubro, não significa que passará um furacão na cidade, apenas que há chance de ocorrer, nos últimos anos não houve ocorrências de furacões.

 

Compras

A Zona Hoteleira conta com pelo menos cinco shoppings centers, La Isla shopping Village costuma ser o mais frequentado e conta com lojas das principais grifes americanas. Para souvenirs e artesanato, na zona hoteleira o melhor é o Plaza Caracol.

 

Vida Noturna

A noitada de Cancun é famosa. Há uma fartura de bares e discos localizadas na Zona Hoteleira. A maior das discotecas é a CocoBongo, com shows bem produzidos. Há bares espalhados por muitos dos centros comerciais, que servem margaritas entre outros dinks.

 

Hospedagem

Na zona Hoteleira encontram-se as grandes redes hoteleiras no regime “all incluse”, todos praticam preços semelhantes, conforme as opções de lazer e comodidade que oferecem. Há também redes de hotéis americanas, hotéis de nível médio, pousadas e hostels, que praticam preços bem menores.

 

Restaurantes

Se você pretende fugir do “all incluse”, será muito bem servido pela diversidade dos restaurantes locais. A zona hoteleira conta com restaurantes que servem desde os pratos clássicos com frutos do mar, até pratos da culinária internacional.

 

Para mais informações sobre Cancún, consulte o site:

http://cancun.travel/pt/


As reportagens da Família Müller te apoio da Curtlo. Visite o site e conheça toda a linha de produtos para desfrutar das atividades ao ar livre.

www.curtlo.com.br

Anúncios

Sobre viajecomafamiliamuller

Durante anos de trabalho descobrindo destinos, publicando reportagens, vídeos, livros e dando muitas dicas de viagem, estivemos bem perto de você. A partir de agora vamos interagir com você de forma efetiva e inovadora. Todos são bem-vindos a fazer parte de nossos roteiros: pais, filhos, singles, famílias e todos que desejam viajar conosco e viver momentos únicos e inesquecíveis! Criamos roteiros exclusivos que despertam emoções! O grande diferencial de nossas viagens! Viva a experiência de ser o protagonista de uma reportagem, um fotógrafo e principalmente um aventureiro, escreva o livro da sua vida! A Família Muller uniu-se à Top Travel para oferecer a você roteiros de viagens diferenciados e com vagas limitadas. Em nossa companhia você vai conhecer uma maneira diferente de viajar, conhecendo lugares incríveis repletos de aventuras, natureza e cultura.

Publicado em 5 de agosto de 2014, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: