Arquivos do Blog

Bariloche – Argentina

Bariloche às margens do Lago Nahuel HuapiBariloche às margens do Lago Nahuel Huapi – Foto: Família Müller

San Carlos de Bariloche, mais conhecida apenas por Bariloche, continua sendo um dos destinos mais procurados por brasileiros no inverno. Bariloche não é mais aquela cidadezinha alpina pequena e graciosa de anos atrás. A cidade cresceu, um tanto desorganizadamente, e hoje possui por volta de 180mil habitantes. No entanto, a natureza que a rodeia continua simplesmente maravilhosa!

BarilocheBariloche – Foto: Família Müller

Lago Nahuel HuapiLago Nahuel Huapi – Foto: Família Müller

Centro Cívico, com edifícios em estilo medieval em torno de uma praça, é o principal ponto turístico urbano. Por ali se encontram a Prefeitura, a Secretaria Municipal de Turismo, a Polícia Local, o Museu da Patagônia e a Biblioteca Sarmiento. É também o local preferido pelos turistas para tirar a famosa foto com os cães da raça São Bernardo, claro que isto tem um preço, que pode ser barganhado com o dono do cachorro.

A partir do centro Cívico, o programa é caminhar pela famosa Calle Mitre, o principal centro comercial da cidade. Por aqui o que se encontra é variedade: casacos, chocolates, artesanato, equipamentos de esqui, aluguel de veículos, restaurantes, lanchonetes e cafés.

Centro CívicoCentro Cívico – Foto: Família Müller

Circuito Chico

Um dos roteiros turísticos mais tradicionais em Bariloche, o Circuito Chico inclui no percurso os principais mirantes do Parque Nahuel Huapi. Se estiver de carro, você poderá fazer todo o circuito no “seu tempo”, o que é muito mais gostoso, no entanto, mesmo se não estiver com veículo próprio, não deixe de realizar o passeio contratando uma das excursões oferecidas pelas agências locais, as vistas dos mirantes são imperdíveis!

O destaque do Circuito Chico sem dúvida é a belíssima vista de 360 graus do alto do Cerro Campanário, considerada pela National Geographic uma das Top 10 Views of the World (entre as 10 mais belas vistas do mundo). Um teleférico de cadeiras duplas leva você a acender aos 1050m do Cerro Campanário, mas se tiver disposição é possível também subir ao cume por trilhas em meio à natureza.

Teleférico do Cerro CampanárioTeleférico do Cerro Campanário – Foto: Família Müller

Cerro CampanárioCerro Campanário – Foto: Família Müller

Bela vista do Cerro CampanárioBela vista do Cerro Campanário – Foto: Família Müller

A próxima parada é o Hotel Llao Llao, localizado em uma colina e formosamente emoldurado pelas montanhas parece uma paisagem saída de um quadro. Somente a bela vista externa do hotel já vale a parada, mas não perca a oportunidade de adentrar a recepção e conhecer o salão de chá envidraçado com vista para as montanhas.

Vista do Lago Nahuel Huapi do Hotel Liao LiaoVista do Lago Nahuel Huapi do Hotel Liao Liao – Foto: Família Müller

No caminho, logo aparecerá uma placa sinalizando o “Lago Escondido”. Se estiver com carro próprio, estacione o carro por ali, perto da placa de sinalização, e siga por uma trilha curta que leva até o lago. O lugar é muito bonito, uma ótima opção para esticar as pernas e apreciar o silencio e a beleza do lago.

Lago EscondidoLago Escondido – Foto: Família Müller

Na seqüência do percurso, o Cerro Otto oferece uma vista espetacular da cidade, da Cordilheira dos Andes e para o Lago Nahuel Huapi. Tente chegar de manhã ao cume, alcançado por meio de teleférico de bondinhos, pois você poderá desfrutar de caminhadas em raquetes na neve, ou apenas caminhadas na natureza no verão, trenós e depois terminar a visita na Confeitaria Giratória que dá um giro completo de 360 graus a cada 20 min.

Vista do Cerro OttoVista do Cerro Otto – Foto: Família Müller

Cafeteria Giratória no Cerro OttoCafeteria Giratória no Cerro Otto – Foto: Família Müller

Mais à frente a parada é no Ponto Panorâmico, de onde se avista o Hotel Llao Llao, o Porto Pañuelo, os lagos Moreno e Nahuel Huapi e a lagoa El Trebol.

Vista do Ponto PanorâmicoVista do Ponto Panorâmico – Foto: Família Müller

Vista do Ponto PanorâmicoVista do Ponto Panorâmico – Foto: Família Müller

Percorrendo todo o Circuito Chico você vai notar que não há um lugar onde a vista não nos deixe de “boca aberta”. A natureza foi realmente bem generosa por aqui!

Por do sol no Lago Nahuel HuapiPor do sol no Lago Nahuel Huapi – Foto: Família Müller

Piedras Blancas

Este centro invernal reúne atividades para o seu primeiro contato com a neve. Se a intenção é aprender a esquiar, o local possui pista para esquiadores iniciantes, mas se a intenção é se divertir com a família, o melhor é deslizar pelas pistas (são mais de 3.000 m de pistas), a bordo dos skibunda.
Acesso pela Av. Pioneros Km. 1
Tel.(02944) 430417
Cel.(02944) 15.533481
www.piedrasblancasbariloche.com

Piedras BlancasPiedras Blancas – Foto: Família Müller

Piedras BlancasPiedras Blancas – Foto: Família Müller

Piedras BlancasPiedras Blancas – Foto: Família Müller

Piedras BlancasPiedras Blancas – Foto: Família Müller

Cerro Catedral

Mesmo para quem não pretende esquiar, o Cerro Catedral é um passeio imperdível. Turistas que não pretendam esquiar podem subir e descer do cume a bordo de bondinho ou de cadeiras (teleférico), pagando um preço diferenciado. A vista do cume é impressionante !

Cerro Catedral - VilaCerro Catedral – Vila – Foto: Família Müller

Cerro Catedral - BondinhoCerro Catedral – Bondinho – Foto: Família Müller

O Centro de Esqui do Cerro Catedral é enorme, a maior área de esqui na América do Sul. São 38 meios de elevação que levam a mais de 120 quilômetros de pistas de todos os níveis, para iniciantes, intermediários e experts, com boa neve desde o início de junho a meados de Outubro.

Cerro CatedralCerro Catedral – Foto: Família Müller

A novidade da temporada de inverno 2010 foi o Snow Tubing, uma atividade onde o praticante desliza pela montanha a bordo de imensas bóias coloridas. O skibunda também é bem popular entre os brasileiros que freqüentam o Cerro Catedral.

Durante nossa visita ao Cerro Catedral, notamos que muitos brasileiros fazem apenas uma aula coletiva e passam os 2 ou 3 dias dedicados ao esqui na pista de treino. Nossa dica é que contrate um professor particular para o seu grupo e acompanhados do mesmo tentem descer uma das pistas verdes (para inciantes), aí sim a diversão será garantida!

Cerro CatedralCerro Catedral – Foto: Família Müller

Cume do Cerro CatedralCume do Cerro Catedral – Foto: Família Müller

Cerro Catedral - esquiCerro Catedral – esqui – Foto: Família Müller

Cerro Catedral - EsquiCerro Catedral – Esqui – Foto: Família Müller

Há várias paradas com cafeterias e restaurantes para quem pretende passar o dia na montanha. A Vila Catedral, ao pé da montanha, oferece opção de hospedagem, lojas, restaurantes e cafés.

Cerro Catedral - VilaCerro Catedral – Vila – Foto: Família Müller

No verão a montanha se transforma num palco de atividades de aventura onde pode-se praticar: caminhadas, trekking, pistas de mountain bike, caminhadas, cavalgadas, quadriciclos, escalada em rochas, tirolesa e skate park, entre outras atividades
Acesse o site e confira toda a programação para o ano:
www.catedralaltapatagonia.com

Onde ficar

Hotel Cacique Inacayal Lake & Spa Hotel
Às margens do Lago Nahuel Huapi, o hotel é uma ótima opção para quem viaja com a família e procura unir o conforto à boa localização. O café da manhã é muito farto e o hotel conta com SPA e uma imensa piscina com vista para o lago.
Calle Juan Manuel de Rosas 625
Tel (54) (2944) 433888/436666
www.hotelinacayal.com.ar

Anúncios

Dicas para esquiadores de primeira viagem!

Esqui (7)

Esqui em Cranmore – New Hampshire – EUA

Com a chegada do inverno, e aberta à temporada de esqui, especialmente na América do Sul, nos chegam muitos e-mails de quem pretendem se aventurar na neve pela primeira vez. Se você nunca teve a oportunidade de esquiar, mas gostaria de experimentar este esporte fascinante (e viciante), aproveite nossas dicas: Ao partir para uma viagem na qual se pretende esquiar, a primeira providência, depois de fechar o pacote de esqui, é contratar um seguro específico para os dias na montanha.

Esqui (4)

Cerro Bayo em Villa la Angostura – Argentina

Reserve no mínimo dois dias para esquiar, pois apenas ao final do primeiro dia você realmente sentirá o gostinho de descer uma rampa sem cair. À primeira vista, o snowboard pode parecer mais fácil, talvez até possa ser para praticantes de surf, ou skate, mas para a maior parte das pessoas, a prática do esqui é bem mais simples. O Ronny, mesmo tendo praticado o surf por muitos anos, acabou partindo ao meio uma prancha de snowboard e optando pelo esqui no fim das contas. Esqui (6) Contrate as aulas e alugue o equipamento preferencialmente na loja da estação de esqui. Com certeza é mais caro do que alugar na cidade, mas sem dúvida, extremamente mais compensador, pois caso haja qualquer problema com seu esqui ou snowboard, será facilmente resolvido, retornar à cidade para consertá-lo, levará mais que meio dia do tempo da sua viagem. Outra vantagem é que caso pretenda esquiar por mais de um dia, os seus esquis e botas ficarão reservados para você, já devidamente balanceados e ajustados para seu peso e altura. Na América do Sul, normalmente os esquiadores não utilizam capacete, apesar de nem sempre termos utilizado este equipamento, hoje, nós recomendamos o uso, sempre!

Aula

Aula Particular

Aula (3)

Descendo as pistas com o professor

Quanto às aulas, você também deve contratar na estação de esqui,  o que facilita, e muito o aprendizado e o aproveitamento. Logo no primeiro dia, se puder, contrate uma aula particular por duas horas, e por mais uma hora na manhã do segundo dia para que o professor possa lhe acompanhar nas primeiras descidas nas pistas para iniciantes, o que lhe dará mais confiança. A aula em grupo também é uma boa opção, no entanto, você vai levar mais tempo para aprender, isto significa, menos tempo para desfrutar esquiando.

Aula (2)

Aula em grupo

Antes de iniciar sua subida às pistas pegue o mapa das mesmas, para não se perder, ou entrar numa pista inapropriada para sua habilidade. Outra dica importante é que você não deve subir às pistas da montanha sem uma prévia avaliação do professor, já vimos muitos brasileiros “perdidos” em pistas mais rápidas, sem conseguir descê-las adequadamente. Na montanha, normalmente é “cada um por si”, todos querem aproveitar o dia sem parar para ajudar outros esquiadores, assim, também fica a dica para que evite se meter em roubadas, e para manter as crianças sempre sobre sua atenção. estacao

Os meios de elevação são diferentes nas estações de esqui. Nas pistas de treino normalmente são tapetes rolantes que levam os esquiadores e snowboarders ao topo, outros são:

  • Ski-lift ou Poma (ou puxador): É o meio de elevação individual onde os esquiadores e snowboarders são puxados por uma espécie de gancho, enfiado entre as pernas, para o topo da pista, com os esquis deslizando no chão.
  • Chairlift (cadeiras): teleférico aberto, normalmente com capacidade de 2 a 6 pessoas.
  • Telecabine / Gôndola, ou bondinho: meio de elevação fechado, onde os esquis são colocados para fora da cabine.
  • Funiculair: Um pequeno e veloz trem, ou teleférico com cabine grande, que sobe longas distâncias e possui capacidade para transportar muitas pessoas.
Elevacao (2)

Ski-lift ou Poma

Elevacao (3)

Chairlift

Elevacao

Telecabine / Gôndola, ou bondinho

As pistas para esquiar são representadas por cores no mapa e sinalizadas nos meios de elevação, conforme a dificuldade.

Na América do Sul e Europa:

  • Verde: pista muito fácil
  • Azul: pista fácil
  • Vermelha: pista difícil
  • Preta: pista muito difícil

 

Mapa pistas (2)

Na América do Norte:

  • Círculo verde: iniciante
  • Quadrado azul: intermédio
  • Losango negro: difícil
  • Duplo losango negro: extremamente difícil

mapa pistas

 

Pista

Pista de treino

Pista (4)

Pista Verde – Iniciantes

 

Pista Azul - Intermediário

Pista Azul – Intermediário

Para esquiar não é preciso nenhum preparo físico, ou técnico (desde que tome aulas de esqui ou snowboard), mas é uma atividade que cansa e desidrata. Procure sempre beber água entre as descidas, lembrando que a água dos banheiros nas estações de esqui não são potáveis. Se alimentar bem também é importante, sempre inclua carboidratos nas refeições, chocolates também são boas fontes de energia.

Pista verde

Pistas fáceis para iniciar

Subindo mais..

Subindo mais..

Curtindo as belas paisagens do cume.

Curtindo as belas paisagens do cume.

Esqui

Pistas em Vulcões no Chile – Osorno em Puerto Varas

 

Para terminar, o clima nas estações de esqui é fascinante! Tudo é lindo: as paisagens, o colorido das roupas em contraste com o branco da neve, as pessoas, tudo muito envolvente, esquiar não é uma atividade barata, mas você vai perceber que, literalmente, “vale cada centavo”!

Vale cada centavo!

Vale cada centavo!

Na mala

  • Camiseta e calça térmica (para usar por debaixo das roupas)
  • Uma jaqueta grossa e calça impermeáveis que devem ser apropriadas para o esqui.
  • Luva térmica (para usar por baixo)
  • Luva impermeável
  • Dois fleeces: um mais pesado e outro leve
  • Meias para neve
  • Gorro / balaclava
  • Cachecol
  •  óculos de sol, protetor solar com alto fator de proteção e protetor labial.

Nós indicamos os produtos da marca Curtlo, que atendem esta lista, consulte o site:

Produtos femininos: http://www.curtlo.com.br/vestuario_tipo.asp?genero=Feminino Produtos Maeculinos: http://www.curtlo.com.br/vestuario_tipo.asp?genero=Masculino

Os vôos para a América do Sul normalmente permitem um ou dois volumes que juntos pesem 23 Kg / por pessoa, mas fique atento, pois nos vôos internos (caso não compre todas as passagens de ida e volta a partir do Brasil) permitem apenas 20 Kg.